• Stephanie Marques Benevenuti Bernardi

AUTOESTIMA: O QUE É E COMO CUIDAR DA SUA!

Atualizado: 12 de Nov de 2020

Se você tem se percebido muito insatisfeito consigo e com a vida, pode ser uma questão de autoestima. Descubra neste artigo se esse é seu caso e o que pode fazer ainda hoje para começar a se sentir melhor!

A autoestima está interligada principalmente com pensamentos e crenças sobre como e quem você é, como você se reconhece e do que é capaz. Se expressa por uma orientação positiva (autoaprovação) ou negativa (depreciação) da sua representação pessoal de autovalor. Ela pode ser influenciada pelas suas relações sociais e experiências de vida.

Os trabalhos realizados no campo da psicologia cognitiva nos últimos vinte anos mostram que a visão negativa que se tem de si é um fator relevante para o surgimento de transtornos psicológicos, como ansiedade, depressão, inseguranças e dificuldade nos relacionamentos. Ou seja, ter uma visão positiva de si é importante para uma vida satisfatória, assim como pode contribuir para lidar com processos depressivos e outros transtornos.

Quais são alguns dos benefícios de uma boa autoestima?

  1. Mais satisfação consigo mesmo

  2. Maior percepção de bem estar e alegria

  3. Aumento do sentimento de independência e segurança

  4. Melhoria nos relacionamentos interpessoais

  5. Melhoria de desempenho no trabalho e/ou estudos

Mas afinal de contas, o que é autoestima? Walter Riso (2012) define que a Autoestima é a junção de quatro pilares:

Autoconceito

O que você pensa sobre si. A autoavaliação que faz sobre si com base nas suas crenças e valores. Isso sofre influência do seu ambiente social, relações e experiências de vida e, por isso, essa visão pode ser distorcida, assim é importante buscar consciência. Ao crescer ouvindo “você não é capaz”, é provável ter uma visão pouco positiva de si, permeada por crenças distorcidas. Você já parou para pensar em como se define?

Autoimagem

A opinião que você tem sobre sua aparência física. Sabemos o que gostamos no nosso corpo e o que preferíamos mudar. É importante lembrar que nada é perfeito e que tudo pode ter dois lados. Qual o lado você tem dado mais atenção? Que tal pensar também em qual parte do seu corpo você mais gosta? Aquela que melhor te serve ao longo do dia? A que você não mudaria em você?

Auto reforço

O quanto você reconhece e celebra suas conquistas. Está ligado a crença do merecimento, ou seja, ao quanto você acredita ser digno do bom e o quanto se permite desfrutar do que te faz bem. Às vezes você pode apenas esperar o reconhecimento do outro, mas isto pode ser feito por você! O quanto você tem se elogiado e comemorado suas conquistas? Você acha que merece tudo que está acontecendo de bom em sua vida? O quanto tem feito coisas que lhe dão prazer?

Autoeficácia

O quanto você se vê como capaz de realizar o que se propõe, resolver problemas e superar desafios. As experiências vividas por você, sucessos ou fracassos, podem influenciar a sua percepção de autoeficácia. Isso pode determinar como você se sente, pensa, se motiva e se comporta. Está relacionado com o sentimento de autoconfiança. Rice (2014) afirma que quanto maior a crença de Autoeficácia, menor o nível de estresse, pois, apesar de tudo, você sabe que vai conseguir superar o que está vivendo. O quanto você tem se sentido dono de sua vida? O quanto tem se visto como capaz de cumprir o que gostaria?


Passo a passo para melhorar sua autoestima

Faça o que é importante para você:

  • Procure definir os seus próprios critérios, necessidades e desejos. O que você precisar fazer por si para ter uma boa vida? O que você gosta? O que sonha? O que é belo para você? O que te traz sentimento de prazer e realização?

  • Realize! Ações alinhadas a seus valores, critérios e desejos, e as conquistas que terá a partir delas, te trarão uma maior percepção de prazer, realização e autoeficácia, aumentando sua autoconfiança e autoestima.

  • Busque autoconhecimento. Permita-se olhar para dentro de si, sem minimizar suas qualidades e reconhecendo os seus defeitos. Vá ao encontro da sua autenticidade, cada detalhe pode ser usado para construir o que você almeja.

  • Reconheça crenças do passado. Suas experiências podem influenciar positivamente ou negativamente a sua percepção de si, identifique crenças que possam ser agora barreiras para viver com plenitude. Como por exemplo, ter vivido negligência parental pode criar crenças como “ Não sou digno de amor” e talvez te impedir de se envolver em um relacionamento saudável. É importante trazer à consciência crenças que podem influenciar a sua autoestima sem que você perceba, para então conseguir alterá-las.

Pratique autocompaixão:

  • Seja mais flexível consigo mesmo, evitando generalizações sobre si com palavras como: “nunca, tudo, nada, sempre”.

  • Evite se culpar e se comparar com outras pessoas, principalmente comparações injustas, como comparações com pessoas famosas ou pessoas que você vê apenas nas redes sociais, essa não é a realidade completa da vida delas!

  • Não se critique o tempo todo, se elogie e celebre todas as vezes que conquistar algo. Lembra do auto reforço, que é um dos pilares?

  • Cuide do seu diálogo interno, estabeleça uma maneira de falar consigo que seja positiva, encorajadora, acolhedora e amorosa.

  • Leia mais sobre autocompaixão e como praticá-la.

Pratique aceitação:

  • Foque naquilo que você tem de bom, nas suas qualidades e em aprimorá-las. Como disse Josh Billings: Um dos truques da vida consiste, mais que em ter boas cartas, é jogar bem com as que se tem.

  • Admita o que acontece em vez de fantasiar ou tentar fazer com que as coisas sejam diferentes de maneira irrealista. “Ah, então eu tenho que gostar das coisas como elas são?” Não, não é bem assim, é importante que você perceba o que está acontecendo, consiga identificar suas emoções, pensamentos, para então agir dentro do que está no seu controle quanto àquela situação.

A jornada do cultivo da autoestima é diária e interminável. Esperamos com esse artigo ter contribuído para esse caminhar. Caso tenha dúvidas ou dificuldade nesse processo, deixe-me apoiá-la(o). Agende agora sua sessão!


Escrito por:

Beatriz Zanetti (CRP - 01/19319) - Psicóloga pela Universidade de Brasília e Mestre em Educação para Carreira pela Universidade Livre de Bruxelas. Dedica-se a auxiliar quem vive transições de vida e carreira, na busca por felicidade, presença e equilíbrio, no Brasil ou no exterior. Atendimentos em português e inglês.


Stephanie Marques - Graduanda em Psicologia pelo Centro Universitário IESB. Entusiasmada em aprender sobre o ser humano e o mundo, vê a escrita e a leitura como formas de disseminar o conhecimento.


52 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo