06 PASSOS PARA O USO SAUDÁVEL DAS REDES SOCIAIS

Recentemente a Netflix lançou o documentário “O dilema das redes sociais” onde vemos que, além de outras coisas, o uso das redes sociais influencia nossa saúde emocional. Você já parou para pensar em como tem usado as redes e como isso tem te impactado? Aprenda neste artigo boas práticas para o uso saudável das redes sociais.


A humanidade, desde os primórdios, teve uma necessidade de registrar os seus passos, comunicar, e esse é um grande diferencial entre nós e os demais animais. Hoje em dia percebemos a importância de as pessoas darem sua opinião, de interagir e a internet foi uma grande facilitadora para isso, pois possibilitou a disseminação de ideias em grande escala, onde várias barreiras geográficas, culturais e políticas foram quebradas. Isso impulsionou também um novo comportamento, a produção de conteúdo, gerando oportunidade para que todas as pessoas com acesso a essa tecnologia possam criar, ler, assistir, ouvir e entender as experiências de outras pessoas.

Inclusive, você sabia que o Brasil é o terceiro país que mais ocupa tempo por dia utilizando as mídias sociais? O usuário médio da internet passa 6 horas e 43 minutos online todos os dias, sendo 3 horas e 31 minutos deste tempo destinado ao uso das redes sociais. Isso equivaleria a mais de 56 dias conectados nessas redes por ano. Você acredita que esse uso é apenas benéfico?


Refletindo sobre o termo “rede”, ele traz consigo uma ambiguidade em seu significado. Enquanto objeto, tem o poder de prender/aprisionar e enquanto conceito tem o poder de conectar. Com qual desses significados você relaciona o seu uso atual das redes sociais? Elas tem te aprisionado ou te conectado (conhecer pessoas, aprender coisas novas e etc)?


Se você pensa que talvez esteja aprisionado, saiba que isso pode ter um custo para sua saúde emocional. Ou seja, seu uso das redes sociais pode estar influenciando sua forma de reagir aos desafios, mudanças e exigências da vida, desequilibrando seu caminhar entre as emoções e desejos que fazem parte da vida e prejudicando o seu âmbito físico, mental e social.


Por exemplo, foi demonstrado que a comunicação online tem o potencial de aumentar o apoio social percebido e a autoestima, diminuindo a solidão e a depressão, enquanto outros estudos descobriram que essa comunicação pode isolar ainda mais os indivíduos e diminuir o bem-estar social. Foi identificado ainda, que o Instagram é a plataforma que mais causa insônia, insatisfação em relação à própria imagem (influenciando a autoestima), ansiedade e depressão, e que em uso exagerado, leva a relações superficiais, dificuldades de aprendizagem, e déficit de atenção. Além disso, outras questões críticas que precisam da nossa atenção como cyberbullying, fake news, compra compulsiva, dependência, e exposição a situações perigosas, também estão ligadas ao uso em excesso das redes. Inclusive, você sabia que o Brasil está em 1 º lugar no ranking de pessoas que mais se preocupam com fake news e desinformação?


06 sinais de que você pode estar preso às redes sociais

  1. Se tem tido preocupação excessiva em relação a sua rede social;

  2. Se está mais irritado e/ou estressado do que o normal;

  3. Se tem tido esforços repetidos para diminuir o tempo de uso, e quando reduz fica pensando no que estava perdendo;

  4. Se fica mais conectado do que o tempo programado e afeta no seu trabalho, estudos e/ou relações sociais;

  5. Se quando perguntam a respeito do tempo que passa online, você mente;

  6. Se quando está em um encontro com os amigos ou parceiro(a) dá mais atenção à suas redes sociais.

Como as redes sociais podem trazer malefícios para a sua saúde emocional


A comparação e a competição nas redes sociais geram conceitos de “sucesso” e “fracasso”, e estas impactam fortemente na criação da nossa auto imagem, levando-a a ser positiva ou negativa. Segundo Elaine Sheehan, o nosso autoconceito - como nos vemos - parece desenvolver-se de fora para dentro, ou seja, somos extremamente influenciados pelo que as demais pessoas pensam de nós. Por exemplo, ao ver as pessoas que você segue constantemente curtindo, você tem a sensação de que está perdendo, que você poderia estar assim, mas na verdade está trabalhando, estudando ou fazendo outras atividades.


No entanto, esquecemos que as redes sociais são apenas um recorte, principalmente o Instagram, por ser uma rede com foco em imagens, onde você decide qual recorte/imagem da sua vida quer compartilhar. E aí que está o problema, nós tendemos a generalizar, achar que aquele recorte, aquela parte, simboliza o que de fato é, o todo de quem somos e de quem é aquela pessoa a qual estamos nos comparando.

Além disso, tem estudos que mostram que nossos cérebros confiam mais em estímulos visuais, como imagens e vídeos, do que em textos, porque isto sinaliza como sendo verdadeiro. Quem nunca pensou ou falou:” Só acredito vendo”?! Mas esquecemos que até as imagens mentem, principalmente hoje em dia. Ou vai me dizer que você não conhece ou nunca ouviu falar do Facetune e Photoshop?


Assim, a imagem deixou de ser apenas um registro da memória, onde não simboliza apenas uma coisa, simboliza uma ideia. Por isso que as pessoas mais seguidas e curtidas nas redes sociais, por exemplo, são pessoas famosas e influenciadores digitais, porque vemos no outro um aspecto da realidade que a gente deseja. Um outro exemplo é o o #tbt – que significa em inglês throwback Thursday, onde as pessoas postam fotos de momentos que já aconteceram, mas querem relembrar. Durante a época de pandemia se tornou mais frequente, levando em consideração o contexto de isolamento social.

Quanto mais avançada a tecnologia, no geral, mais possível é para um número considerável de seres humanos imaginarem ser outra pessoa, diz David Riesman. É isto que as redes sociais proporcionam, poder ser quem quiser, construir sua própria imagem e a evolução tecnológica tem proporcionado cada vez mais isso, como por exemplo a modalidade de filtros que tem agora no instagram e no facebook. Mas tudo isso não é real e quando a pessoa se olha no espelho, ou encara a realidade da vida no dia a dia, ao perceber uma distorção tão grande entre o imaginário e o real, o sofrimento é muito grande.

Pariser (2012), em seu livro intitulado O Filtro Invisível: O que a internet está escondendo de você, aborda os complexos algoritmos utilizados pelos sites e aplicativos de Redes Sociais Virtuais que prezam pela relevância do conteúdo mostrado para cada usuário e como estes estão nos manipulando e tendo acesso a todas as nossas informações. Você sabia que o Brasil está em 2º lugar no Ranking de pessoas que mais se preocupam em como as empresas têm utilizado seus dados?


Recentemente a Netflix postou o documentário “O dilema das redes sociais” que fala sobre esse mesmo assunto. Você já assistiu? Vale a pena! Aqui você pode ver o trailer. Esse artigo foi escrito buscando complementar e responder às preocupações levantadas por ele. Veja abaixo o que você pode fazer para presevar sua saúde emocional:


06 PASSOS PARA O USO SAUDÁVEL DAS REDES SOCIAIS


Reduza o tempo online

Pesquisas mostram que a redução do uso de redes sociais para 30 minutos por dia resultou em uma redução significativa nos níveis de ansiedade, depressão, solidão e problemas de sono. Além disso, ser mais intencional com o uso, ou seja, ter um objetivo claro ao acessar, pode ter resultados benéficos em seu humor e foco. Veja abaixo algumas ideias para te ajudar a reduzir o tempo online:

  • Use um aplicativo para rastrear quanto tempo você gasta nas redes sociais por dia. Em seguida, defina uma meta de quanto você deseja reduzir. Algumas opções de apps são Flipd, Forest, Siempo e Moment.

  • Desligue o telefone em determinados momentos do dia. Dirigindo, jantando com amigos ou família, quando for ao banheiro, você não precisa de telefone nesses momentos.

  • Não leve seu telefone ou tablet para a cama. Desligue os dispositivos e deixe-os em outro cômodo durante a noite para carregá-los.

  • Desative notificações. É difícil resistir as notificações do seu telefone. Desativá-las pode te ajudar a se manter no controle do seu tempo e focado.

  • Tente remover aplicativos de redes sociais do seu telefone para que você só possa verificar o Facebook, Twitter e outros do seu tablet ou computador. Se isso parece muito drástico, tente remover um aplicativo por vez para ver o quanto você realmente sente falta dele.

Mude seu foco

Da próxima vez que você for acessar uma rede social, pare por um momento e esclareça sua motivação para fazê-lo. Muitos de nós acessamos a rede social puramente por hábito ou para matar momentos de inatividade sem pensar.

Se você estiver acessando a rede social para encontrar informações específicas, falar com um amigo ou compartilhar novas fotos, por exemplo, sua experiência provavelmente será muito diferente do que se você estivesse conectado simplesmente porque você está entediado ou quer verificar se está perdendo alguma coisa. Ou seja, ao focar na sua motivação para fazer login, você não só pode reduzir o tempo que gasta nas redes sociais, como também pode melhorar sua experiência e evitar muitos dos aspectos negativos.


Tenha controle do conteúdo que você está consumindo

Se você está comparando seu corpo, casa ou estilo de vida àqueles influenciadores perfeitos do Instagram e isso não faz você se sentir bem, pare de segui-los. Certifique-se de que as pessoas e marcas que você segue estão alinhadas com o que é importante para você, e você está obtendo algo de valor ou positividade por segui-las. Siga apenas quem te inspira e te faz sentir bem, pense em qualidade ao invés de quantidade.


Procure apoio se algo o incomodar

Se você ver algo online que provoque incômodo, não fique sozinho com esses sentimentos. Fale com amigos e familiares sobre isso e, se necessário, relate qualquer conteúdo ofensivo ao site.


Veja tudo cinza

Há uma configuração em seu telefone - escala de cinza - que muda a cor que você vê na sua tela e mostra tudo em preto e branco. Essa é uma estratégia certeira para quem está com dificuldades de se desligar do telefone. Experimente para ver como as imagens ficam menos atraentes em preto e branco.


Dê um tempo das redes sociais

Quando sentir que precisa, não há problema em fazer uma pausa nas redes sociais. Embora possa parecer impossível, estabelecer limites e fazer uma pausa nos fins de semana ou à noite pode ser possível sim. Caso você trabalhe com redes sociais pode achar esse artigo interessante com dicas específicas para quem faz esse tipo de trabalho.


Então, você descobriu se tem utilizado bem suas redes sociais? O que achou dos passos para utilizar as redes de maneira mais saudável, já aplicava algum deles? Se começar a aplicar me conte nos comentários como tem se sentido fazendo isso. Vou adorar conversar mais! E se ficou alguma dúvida ou se você acredita que precisa de apoio para colocar em prática, me mande uma mensagem, estou à disposição.


Escrito por:


Beatriz Zanetti (CRP - 01/19319) - Psicóloga pela Universidade de Brasília e Mestre em Educação para Carreira pela Universidade Livre de Bruxelas. Dedica-se a auxiliar quem vive transições de vida e carreira, na busca por felicidade, presença e equilíbrio, no Brasil ou no exterior. Atendimentos em português e inglês.

Stephanie Marques - Graduanda em Psicologia pelo Centro Universitário IESB. Entusiasmada em aprender sobre o ser humano e o mundo, vê a escrita e a leitura como formas de disseminar o conhecimento.

33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo